-

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007


Boa tarde :)
E mais um Natal se passou, as asneiras já foram feitas agora venha o Ano Novo.
Esta época é mais do que nunca abordada pelos Circos.
Eu sou contra, assim como sou contra os Jardins Zoológicos e todos os órgãos que explorem os animais para seu próprio enriquecimento.
Tenho um Circo perto de minha casa, e não tenho qualquer interesse em visitar.
Primeiro porque tenho a certeza que o que veria, foi feito contra a vontade do próprio animal, que segundo um email que circulou bastante tempo pela internet, os animais são sujeitos a pesados castigos quando não obedecem, exemplos não dou pois são tão macabros que até custa mesmo acreditar.
Uma outra razão, é que a maioria dos animais que os constitui efectuou o seu crescimento num habitat que Portugal não pode oferecer. Qual é o sentido de sujeitar um urso polar,que tende a desaparecer rapidamente ao nosso clima ?
A única parte que me poderia agradar é a da representação onde os artistas demonstram os seus dotes, e estes ainda podem ter o seu encanto pois escolheram, em principio.
Li num jornal que um tigre siberiano, matou um homem e feriu dois, em São Francisco.
O tigre, matou e depois estava sentado perto do corpo, quando as autoridades se aproximaram atacou-as e foi abatida, uma tragédia que poderia muito bem ser evitada se esse mesmo animal estivesse no seu local de nascimento.
Assim como acontece nos sítios denominados por divertimentos também há outros locais, locais esses que por vezes nem imaginamos.
O que acontece à sua vontade ? Fico mesmo revoltada quando ouço alguém a dizer que eles existem para nos servir, acho que a ignorância não podia ir mais longe.
Vejam este vídeo http://www.youtube.com/watch?v=o6H2VcuXWzQ (um dos muitos que estão na internet, mas que passa ao lado, pois há ainda a ideia de que tudo está bem quando nós estamos bem...) disponível sobre o terror que grande parte dos animais sofre, salvo raras excepções.
Sei que não vou ser apenas eu a conseguir travar os maus tratos dos animais, que não acontecem apenas nos circos e afins, mas passando a mensagem é um começo.
Fiquem bem, e até ao próximo texto.


3 remendo(s):

Gabriela Caldeira disse...

Olá de novo!
Fico contente por ser a primeira a comentar.
Ok... o que posso dizer? Acho que já disseste tudo! Quer dizer, como posso dizer ou acrescentar algo no que está completo?
Antes de mais, fico contente por haver pessoas que têm consciência, embora poucas, que têm consciência das condições em que vivem eses animais... mas olha que não é só no circo...
Aquele nosso sentido típico de superioridade animal leva-nos a desrespeitar vidas igualmente importantes... e até há quem afirme não ser animal! "Eu? Um animal? Eu não sou animal porque penso!". Estas afirmações irritam-me! Esquecem-se que há animais inteligentes e que a inteligência foi distribuída segundo as várias espécies necessitavam dela. Por exemplo um leão tem umas mandíbulas poderosas e força para sobreviver. Mas nós não temos nenhuma condicionante física para sobreviver. Por isso, a Natureza dotou-nos mais inteligência. E nem sempre fomos assim, porque é algo que se vai desenvolvendo à medida que evoluímos.
Talvez o homem seja mais burro do que pensa por se pensar mais inteligente que os outros sem se perguntar porquê.

Parabéns pelo comentário! :)

celialmeida disse...

ola
desculpa a ausencia !
gostei do texto e também nao concordo com a exploraçao de animais. quando vejo algum a exibir-se e a fazer até coisas giras penso sempre cà para mim "o que teràs sofrido para chegares a fazer isso" ? é revoltante ! tal como o sofrimento das crianças, o sofrimento dos animais é algo que me toca imenso.
continuaçao de boas festas, beijinhos.

Débora Val disse...

Fazes bem em passar a mensagem, é sempre um começo.

Gosto do circo, mas só gosto da parte dos trapezistas, malabaristas...

Nunca gostei muito de ver os animais, só q nunca tinha pensado nisso assim, nunca tinha pensado o que eles sofriam para fazerem aquilo.

É triste os humanos explorarem os animais. Até chega a ser revoltante.


Beijos e, se não falar-nos até lá, espero que tenhas um bom ano de 2008.


Não sei se reparaste, mas estamos a ficar velhas. :P

© oblogdocorte 2007. Todos os direitos reservados