-

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Da BRAVEZA à cobardia


Por vezes referimos-nos aos dias como algo rotineiro, mas há sempre algo de novo em cada dia. Eu não chamaria a cobardia de algo novo, mas se analisarmos bem algo podemos retirar.
Perto da minha casa há um conjunto de cães abandonados, que vivem numa "comunidade", e que para onde um vai todos vão, o que acho fantástico, funcionam como "um por todos, todos por um".
Porém há também uma escola de indivíduos que lhes posso chamar seguramente de mal-formados, e que hoje passaram pelos cães e provocaram tentando imitá-los ladrando, o que a meu ver só fez os cães rirem no seu interior pois estavam muito longe de terem a sua qualidade.
De tarde ao passar pelo local onde os cães se encontram passavam dois rapazes e começaram a fazer o mesmo, mas algo que eu desejava aconteceu: Os cães levantaram-se da relva e começaram a ladrar, os rapazes fugiram, e um chegou ao cúmulo de deixar cair a mochila e ter que ser um senhor que se encontrava por perto a entregá-la pois o "corajoso" rapaz ficou com medo.
Esta história que poderia representar muitas outras tem uma moral, que para mim é a seguinte: Por vezes as pessoas que mais sarilhos procuram são aquelas que se acobardam com o seu próprio resultado.
Já agora, vale a pena pensar nisto.

19 remendo(s):

Gabriela de Sousa disse...

Hoje vemos muito disso no mundo: gente que diz que faz mas, quando chega a hora da verdade, nem age mediante metade daquilo que disse. As pessoas são fracas quando se metem com aqueles que julgam mais fracos, pois sabem o seu domínio certo. Mas, se por acaso algum se alevanta, o caso muda de figura e a verdadeira cobardia vem ao de cima (isto porque ninguém foge à Natureza... mesmo os covardes e estúpidos).

Já agora, há muito tempo que não era a primeira a comentar!!! :) Sinto-me lisonjeada!
E vemos esse caso na turma: se tivesse realmente ciragem, tinha-me dito na cara que a minha voz erz irritante como a de outra colega (que ele gosta muito de ouvir, não é?). Mas acobardou-se, pois sabe que se o tivesse feito habilitava-se à minha ira...

Bjs! :D

imnotinsane disse...

Completamente de acordo!
Qerem armar.se, e mostrar qe ah e tal sou muita bom consigo meter medo a um cao --'
Esqecem.se qe há animais qe conseguem ser mais "humanos" qe o proprio Homem, enfim...

imnotinsane disse...

14 dias sim!
Se vires bem o meu 2º nick vais perceber :)

David disse...

A cobardia e o pao de cada dia. E garganta entao...ha mta...

Beijinho

Heloisa Ikeda... disse...

hahaha
Coberdia?
se não estou enganada, no portugues do Brasil de diz "Covardia"
Enfim adorei a cronica
E quantas vezes já não me vi covarde em frente a situação que hoje me parecem tão normais rsrs
beijos

um Ar de disse...

A tua crónica tem como persongens um grupo de cães e uma série de rapazes...

Os cães conseguiram defender-se e ainda bem.

O pior é quando isso acontece com outras pessoas, sozinhas, sem a possibilidade de se defenderem e atacarem, com uma valente dentada, as canelas dos cobardolas.

E, isso, também já vimos acontecer, não é? Coisa feia, mesmo.

Faço minhas as palavras do David!

[BEIJO]

kakauzinha disse...

É o dito Ser "humano" que se acha tão superior aos outros seres de 4 patas, esquecendo-se que também é um animal, apenas com mais vantagens e as quais usa de forma cruel para destruir em vez de espalhar bondade e harmonia à sua volta.

Mas como sou optimista por natureza continuo a dizer que tudo é possível, que não podemos cruzar os braços, há que passar o testemunho às crianças, explicar aos adultos que fazemos parte de um Todo, cada qual com o seu papel.

Um texto muito pertinente o teu, parabéns.

Beijinho grande*

mariadosol disse...

A tua crónica é muito aguda! Faz pensar. Isso é muito bom!
bjs

Ana Si disse...

n podia concordar mais contigo Marta ...

são cobardes porque só ousam desafiar os que julgam mais vulneráveis ... mas quando confrontados mostram o que não valem ...

Sérgio Figueiredo disse...

Claro que vale a pena pensar nisso. Isto porque todos os dias há, como dizes, situações novas e porque como sabemos...não há dias iguais.
Por outro lado...o teu "moral da História" também não é desconhecido, os valentões, só o são quando estão acompanhados ou então...fogem.
Mas é interessante o teu post e a situação do "gang" de cães abandonados.

Beijo

biazinha disse...

Essa metáfora dos cães é sensacional. Os covarde que só se garantem em grupos, os que blefam tentando intimidar as pessoas pra angariar alguma vantagem.
Excelente crônica!
Sumiu do meu cantinho, hein!
Bjuxxx.

(L)

Débora Val disse...

Já não há bom senso por parte de certas pessoas. Essas pessoas pensam que são valentes e depois, acontece o que presenteaste.

Bom texto, faz-nos refelectir imenso. :)

Beijos.

[desculpa-me não passar tão frequentemente pelo teu blogue como antes, mas não me foi permitido pelo PC. Já agora, obrigado pelos "awards" - se ainda estiver nas tuas recomendações]

Camilla disse...

Eu só fico com pena dos cãezinhos porque certamente não fizeram nada...
Sem comentários para esses rapazes que se acham demais.

Beijo!!

poetaeusou . . . disse...

*
linda.
,
os teus verdes anos, ainda te limitam os veres vais ser obrigada mudar de opinião muitas vezes, com a experiencia de vida adquirida,
,
mas vais longe, tens o "toque",
,
conchinhas
,
*

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, bom post !
Penso que você está certa .
Beijos

AURORA ( LOLA ) disse...

"Covardia""Covardia""Covardia"
rsrsrsrsrsrs





bjs

um Ar de disse...

Olá Marta,

Vai ao meu blog e encontras maneira de comunicarmos, como sugeriste...
:)

[Beijo]

um Ar de disse...

Vai a um dos slideshows, and track me..:)

[BEIJO]

carla m. disse...

nossa, maravilhoso!!!

resumiu a vontade de mostrar o desejável de uma forma ridícula com perfeição.

© oblogdocorte 2007. Todos os direitos reservados