-

quarta-feira, 12 de março de 2008

Infância adiada

Estava numa confeitaria quando entre um rapaz dos seus 10 anos, em que foi inevitável entender que iria pedir. Chega ao pé de um senhor, que estava a comer marmelada de um supermercado próximo com um canivete e a beber um copo de água (refeição económica) e este vira-se para ele e diz : "Vai para a escola".
Não digo que o rapaz não devesse estar na escola, porém há que ver como se fala, pois tinha uns olhos humildes, e mais valia o senhor dizer que não queria dar do que se sair com uma frase moralista que talvez não tenha seguido noutros tempos. Por falta de oportunidade? Talvez. Chega então á nossa mesa e a minha mãe pergunta-lhe se tem fome, ao que ele diz que sim, e a minha mãe ofereceu-lhe um bolo.
Continuou a percorrer as mesas, depois de ter agradecido, e o empregado aproxima-se e diz-lhe que vá pois já tinha comida.
Quando vejo alguém a aproximar-se de mim eu não dou dinheiro, pois na sua maioria são adultos, saudáveis que podem muito bem trabalhar. Porém se for algo para se alimentar, concordo que se dê.
O velho continuou a comer a sua marmelada com o dito canivete, indiferente á infelicidade do rapaz, talvez nunca tenha sabido o que foi ser criança.
O rapaz se chegasse a casa sem algo iria provavelmente sofrer represálias.
Muitos casos como este andam por aí, e há que distinguir a falta de oportunidade com o oportunismo em carne e osso.

PS- Agradeço os selos que a dona do purgatório online me passou :)
E passo para:




14 remendo(s):

Garota viajante disse...

Parabéns pelos prêmioos!!

Beijinhooos!

Tem post novo na área!!

;D

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…


Doce beijo

Luis F disse...

Parabens pelos prémios...

Muito bonito o teu blog.

Solta as asas e voa, rasgando o céu dos teus sonhos

Beijinhos

Cassiane Schmidt disse...

Oi adorei seu blogue...
Beijos

Daniela Filipini disse...

Oii amor, parabéns pelos prêmios, acabei de ver que eles são merecidissimos! hehe
beijão ♥

O Profeta disse...

Olá Marta vim ler o teu post e acho que escreves com uma elegância incomum...


Doce beijo

x_maybe_memories disse...

obrigadaaaa;


maginaaaa

o seu tambem é muito bonitooo
volte sempreee

Paulo Vilmar disse...

Marta!
Uma vida sem perpspectivas é muito triste! Adorei teu blog. Voltarei!
Beijos.

\ L i n e n h a . A u t i e r i / ♥ disse...

oww mel dels



i oiia detonouu no post

ta perfeitoo akée ³ as cores combinam (yn)

beejãao

Daniela Filipini disse...

Oii amor \o
aqui tá liiiindoo \o
hehe
voolta?
beiijo ;*

Lisa disse...

Olá Marta...

Obrigada pela visita...e com certeza tu serás sempre bem vinda no mundinho...rsrs...

Adorei o seu espacinhu tb...

Desejo lindo final de semana com ternura pra ti...

Beijosss...

Lisa disse...

Pode deixar que tb volto!..rsrs...

Beijosss...

Gabriela Caldeira disse...

Olá!
Há já muito tempo que não passo por aqui, nem pelo teu, nem pelo meu (falta de tempo).
Olha, vi o mail que me mandaste sobre o tratamento que dão aos animais por causa das peles... nem sei como consegui ver durante 1 min... é horrível!
Mas como é possível que as pessoas tenham coragem de lhes fazer isso? É que se, ao menos, os matassem primeiro, mas arrancam a pele com eles vivos... E tudo por causa de um casaco que, mais dia menos dia, usa-se e rompe-se...
Não concordo com a castração de animais... havíamos também de "castrar" as pessoas que também andam aí a encher uma casa com 8 filhos ou mais...
Temos direits sobre o nosso corpo, mas não sobre o corpo dos outros... como é o caso do aborto, pois não nos cabe a nós decidir se aquele corpo JÁ FORMADO deve ser eliminado ou não.

Agora nas férias vou ter tempo de passar por cá! Beijos e até ao próximo texto :)

ternura disse...

Há infâncias muito complicadas.
É preciso compreende-las.
Acredita que se for comida eu só não dou se não tiver.
Prefiro tirar à boca para dar.
mas enfim.
Beijinho.

© oblogdocorte 2007. Todos os direitos reservados