-

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

O Passado no Presente

Provavelmente o que vou falar aqui vocês já sentiram, o famoso déjà vu, traduzido significa "já visto".
Se há algo que me deixa inquieta é tudo aquilo que desconheço, uma conclusão fantástica, e aquele sentimento de que já vivi algo mas não sei quando é realmente estranho.
Ando a ler um livro em que me deparei com uma senhora do século XXI que um dia acordou no século XX; uma situação que eu penso que pode ser a razão para algumas das nossas questões, pois podemos adormeçer e acordar no século XIX vivendo algo que no século XXI se vai repetir.
Quantas vezes chamamos coisas de "coincidências", "acasos", mas podem muito bem ser reflexos de algo que já vivemos, e que nos é facilitado mas que nem sempre está ao nosso alcance.
Por vezes conheço pessoas que tenho a impressão que já as conheço faz muito tempo, e após algum tempo de convivio elas dizem algo que eu já ouvi, ou um simples gesto seu me questiona.
Algumas vezes nesses diálogos já sei qual é a frase que se segue, e uma das coisas que mais me questiona é se nós estamos a viver algo que está sempre a rodar e a retroceder, tipo um filme, em que basta uma deixa estar mal e o guião é repetido...
Isto é realmente complicado, talvez demore um pouco a mudar os termos de "coincidência" e "acaso", mas até lá há que ter atenção...

7 remendo(s):

Gabriela de Sousa disse...

Olá!
Fico feliz por ser a primeira neste teu primeiro texto. :)
É assim, não digo que isso nunca me acontece, aliás, acontece-me imensas vezes e dá-me que pensar... uma vez estava na aula de piano e o professor começou a falar sobre isso num intervalo porque disse que já sabia uma frase que eu ia dizer e eu comentei: "Ah, professor, há cientistas que afirmam que, poucos minutos antes de morrer, o moribundo revê toda a sua vida nesse curto espaço de tempo como se estivesse a ver um filme e o que para nós são segundo enquanto ele morre, para ele é imenso tempo, só que isso ainda não foi provado. Professor, já imaginou que, neste preciso momento, pode estar a morrer e está apenas a rever a sua vida daí já saber o que eu ia dizer?" Claro que disse isso só para assustar, até porque por pouco que o professor não se benzia e fez uma cara que... só visto, mas o certo é que, até eu, me inquieto com isso...
Não sei por que é que isso acontece, desconheço a origem e apenas há especulações e não certezas. A ciência pode descobrir imensas coisas, mas acredito que há coisas relacionadas com o mais profundo do nosso cérebro que nunca ninguém há-de saber resolver.
Somos tão complexos!!!

Beijos

M.L disse...

Marta muy interesante el tema de hoy.

Es ese sentimiento de que ya hemos vivido alguna situación igual o similar antes !!

O esa extraña sensación por la que una persona que nos cruzamos por primera vez, nos parece extrañamente muy familiar.

Y hasta sentimos, sin poder explicarlo, ciertas nostalgias por lugares en los que nunca hemos estado antes, pero aún así evocan algo en nosotros.

O cómo bien decís .. saber que ocurrirá por pálpitos, presentimientos.

Es mágico ... son epecial esos instantes.
Me gustó.
Un beso.

Juh disse...

ola marta!!!

faz tempo mesmo que nao postas!!!

concordo plenamente com o que escrevest provavelmente sao coisas que ja vivemos como se diz noutra vida e que agora se reflectem no presente é estranho mas é verdade!!!

concordo com tudo o que dissest o teu pensamento está mais do que correcto!!!

é uma coisa mágica!!!

beijinhos

Juh

Débora Val disse...

Hoje percebi verdadeiramente o que é um déjà vu com o teu texto. É uma definição bem completa.
Sinto isso principalmente quando vejo alguém pela primeira vez e parece-me já ter visto aquele alguém. É bastante estrannho... Se calhar temos outras vidas..

Maria, Simplesmente disse...

Olá!!!!!!!!!!!!

Por ter o tempo ocupado, está a ser pouco para o que queria fazer, entro e saio dos meus blogues, muitas vezes sem ver bem o que por lá anda.
Hoje com mais tempo olhei para os links que me alertam para os blogs que mais ou menos visito e vi este que tinha sido actualizado.
Foi uma agradável surpresa ver que voltara ao vermelho, ver a actualização que foi feita, com escritos que vala a pena ler, e dou-te os parabéns por tudo isto e muito mais. Pelo desejo de contimuares.
Quanto a esta última mensagem, eu teria muito que dizer, o que descreves, já eu tenho sentido, mas o mais curioso é que é sempre em lugares muito mais altos como por exemplo no cimo das Serras. Aconteceu-me também na saída pelas traseiras do Paláci da Pena, em que foi necessário encostar-me à parede, pois uma frase que um dos meus amigos disse foi como se tivesse voltado atrás num outro momento mas sedo o mesmo momento em que vivia.
Não acredito em casos paranormais, não acredito em "coisas e loisas" estranhas que muita gente conta, mas tens toda a razão, por vezes parece estarmos a viver ...
Enfim, há uma coisa eu que eu acredito, acredito que a nossa energia não desaparece, acredito que ele é parte deste Universo em que vivemos e que nós não conhecemos.
Não ligues, filosofia "barata", pesquiza pois tudo, segundo dizem alguns, tem uma explicação. Pode ser que sejas tu a encontrá-la, ou eu, quem sabe?
Um beijo da Maria

Camilla disse...

Eu tenho medo de Dèja Vu's.
Eu tive muito poucos, mas sei lá, eles me dão calafrios haha

Beijos Marta!!

Lu.a disse...

Há uma explicação ciêntifica e uma explicação "espiritual" para o fenómeno "dejá vu"...tanto quanto li e vi em documentários, a explicação ciêntifica é a de que o nosso cérebro quando está perticularmente cansado tem tendência a associar certos momentos (uma conversa, um local),dando a falsa sensação de que já tivemos aquela conversa, já vimos aquela pessoa antes, já estivemos naquele sítio...a explicação "espiritual" não é só uma, são várias, e vão desde universos paralelos até encarnações passadas... (eu cá acredito em ambos!). Agora uma coisa te digo, se acreditas em reencarnação, é muito provável que encontres nesta vida, nem que seja por 5 minutos, pessoas com quem estiveste nas tuas vidas passadas...et voilá, dá-se um "dejá vu"! ;)

© oblogdocorte 2007. Todos os direitos reservados