-

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Libertando ideias

Olá boa noite :)
Espero que esteja tudo bem por aí.

Surgiu-me um tema, que por vezes nós não pensamos com seriedade, e não falo por mim, mas reparo que na maioria dos casos a culpa nem é procurada, e quando é pensada a culpa é sempre de terceiros.

Afinal, pergunto eu o que é a Liberdade, aquela palavra mágica que muitos a querem e nem sabem o que significa na realidade.
Felizmente tenho-a, porque acho que também o faço por merecer, sigo sempre os padrões do que é correcto para mim.

Mas pergunto, será que a Liberdade é só fazermos o que queremos, porque a maioria das pessoas assim a define, quando na realidade, não significa apenas fazer o que nos apetece e deixar de lado o que menos nos agrada, pois assim ninguém se entendia.
Havemos de reparar, que qualquer acontecimento está sempre ligado a outro, e por vezes sem ser propositadamente das parte do emissor e receptor, há como que algo para fazer que não era aquilo que tinhamos pensado, mesmo que nem nos apercebamos disso, mas é o que tem que ser feito.


Um caso que por vezes ouço, é de pessoas com idades até aos 18 anos que dizem, que aos 18 fazem o que sempre quiseram.
Não sei se é por ver a Liberdade não como algo oferecido de imediato, mas sim merecido, que acho que estes ideais são pouco inteligentes.
Não digo que não se sonhe em ter futuro, qualquer pessoa o faz, mas porquê dizer que aos 18 se será dono de si mesmo, se se puder fazer com que a confiança aumente em vez de ficar á espera, pois em certos casos até nem se trabalha por ela .

Há que fazer por isso, pois antes dela vem tudo o que é necessário para a agarrar.

Para mim, é algo indispensável, não imagino um mundo sem liberdade de expressão, de religião, de ideias, de tudo que se possa imaginar, mas que em certos locais ainda é negada.

Fiquem bem, e espero que tenham gostado deste meu texto, e quem quiser que veja o texto anterior.

Nota : Passarei a actualizar o blog apenas ao fim-de-semana, e assim penso também organizar melhor as ideias que me forem surgindo ao longo da semana.

3 remendo(s):

Arauja disse...

Resumidamente sempre pensei que a nossa liberdade acaba onde a do outro começa.
Se tivermos consciência disso somos mais livres!
E nao acreditem que aos 18 anos nao ver os donos do mundo, porque nao vao... !
Já passei por lá e tambem achava que ía ser mais livre ou que ía ser dona da minha vida...
Aos 18 anos é verdade que já podem tomar decissoes e ter responsabilidades, mas nao é por ter os 18 que vao ser mais livres !

Pouca inspiraçao hoje... !
:P
@
<3'te

celialmeida disse...

ola amiga
desculpa a ausencia, ja sabes o porquê. mas nao pude evitar em vir aqui e ler o teu texto bem interessante, como sempre, e deixar tambem uma beijoca.
sabes, ter 18 anos nao muda grande coisa a nao ser nos papeis. liberdade nòs é quem a criamos e muitas vezes nao diz respeito a fazer-mos tudo aquilo que nos apatece. liberdade também é saber respeitar o proximo.
beijinho

Débora Val disse...

Grande texto.

:)

Para mim a liberdade não é só fazernos o que queremos. Se todos fizessemos o que queriámos, era uma desgraça.

Para mim a libertade é mais, fazer o que gostamos, se bem que o querer e gostar estão relacionados.

Quanto à liberdade aos 18 anos, continuo a pensar que a liberdade é a mesma, só passamos a conduzir um carro e temos mais responsabilidades. Dizemos que iremos fazer o que queremos, só que não é bem assim. Há que respeitar os outros, principalmente os nossos pais, que mandam em nós e sempre mandarão.

Beijos e gostei do tema.

:)

© oblogdocorte 2007. Todos os direitos reservados