-

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Em série

Hoje não optei pela poesia. Vou escrever sobre algo que quem está a par das novas tendências possivelmente já reparou, e quem não reparou eu passo a explicar.
Na minha opinião a nossa sociedade está a caminhar a passos largos para pessoas iguais, como se se tratasse de fabrico em série.
Faz-me confusão quando vejo grupos de pessoas com o mesmo tipo de cabelo, as calças caídas (por isso a nossa geração é intitulada da geração Y), cigarro na ponta dos dedos, e brinquinhos no nariz, na mesma posição.
Eu não tenho nada contra isso, mas acho muita falta de originalidade, porque há que entender que isto é um aviso de que a sociedade está a tornar-se igual, claro que há pessoas que conseguem marcar pela sua resistência, e pela originalidade, e que têm o seu próprio estilo e auto-confiança e não necessitam de optar pelo que os seus "amigos" optam.
O conceito de moda está muito detorpado, pois hoje em dia moda é aquilo que se vê muito, e não aquilo que fica bem, e as modas incluem aspectos que favorecem aqueles que querem seguir maus caminhos.
E este conceito que começa a perder o verdadeiro significado, é visivel nas músicas, que são feitas para durar pouco tempo, não se tornando assim clássicos, como aqueles que eu pelo menos ainda aprecio e que as gerações futuras talvez apreciem, pois é algo eterno.
Mas há que ver ainda, que a moda está boa para os que não querem ter regras, pois se formos a ver só se segue o pior, as modas boas neste momento não têm grande futuro face a estas criações.

13 remendo(s):

poetaeusou . . . disse...

*
élite,
lacaios
e
povo
,
o 5º mundo
instalou-se em portugal
,
desculpa o abuso, amida,
,
libertadas conchinhas, dou-te,
,
*

Fraga disse...

eu acho, que podes ser incrivelmente original e vestir tudo o que os outros vestem (embora eu não faça, pq não gosto de tudo o que eles vestem LOL)
basicamente, a originalidade está na mente. se as minhas roupas sao exactamente as mesmas (e não costumam ser) dos outros, é pq procuro aceitação. mas a noção de originalidade é a criatividade da mente e não a nossa roupa diferente. a própria palavra "moda" tem o significado de que a maioria a segue.

Camilla disse...

Moda eu acho que cada um faz a sua própria, sabe?

O mundo virou um padrão único e quem não segue, é considerado como um ser diferente...

Beijos Marta!!

Gabriela de Sousa disse...

Enfim, Marta, assim vai o mundo.
De certeza que ambas ainda nos lembramos daquela visão fantástica: aquele rapaz, de calças a cair, botas, camisola branca, lenço enrolado no pescoço e carteira verde fluorescente no ombro a mandar mensagens do telemóvel... (é comum ver rapazes de cor-de-rosa, mas de carteira no ombro nunca pensei). Aquele vai fazer concorrência ao Castelo Branco, é melhor ter cuidado!
Pessoalmente, acho que os rapazes de agora estão a tornar-me menos... o que são, ou seja, mais... meninas...
pessoalmente acho que, com algumas roupas de agora que estão na moda, as raparigas ficam a parecer mais velhas do que são. Estive à procura de um casaco, fui à secção jovem e mostraram-me um casaco que estava a ter muita saída, mas, sinceramente, parecia vindo do guarda-roupa da minha avó (e ainda, no início, achavam horríveis as senhoras de idade com aquelas saias compridonas que agora são tão procuradas pela nossa camada... e algumas pareciam vindas da feira).
Ambas conhecemos raparigas que, se não soubéssemos a idade delas, lhes dávamos para aí mais uns 3 ou 4 anos... É assim a vida: em novas querem parecer mais velhas e quando estão velhas querem parecer mais novas; quem as percebe? eu sou rapariga e não entendo o raciocínio...

Beijos

Débora Val disse...

E... é este o mundo em que vivemos. Pessoas sem gosto próprio, sem opinião própria. A originalidade, para mim, é um luxo fantástico. Chego a não comprar algo que gosto simplesmente porque dezenas de raparigas têm o mesmo. É impensável! Nunca gostei de padrões (no que se refere à moda), mas tenho que me habituar, porque é este o mundo em que vivemos.

Beijos.

:: Fatima :: disse...

Eu,particurlamente nao curto esse lance de moda! Eu por exemplo, gosto de geans e regatas e as pessoas ja me intitulam de "basica"
Eu nao sou basica apenas uso pecas confortaveis...Mas o mesmo tempo nao gosto de estar igual a todo mundo! Entao,proucuro usar cores fortes,aderecos,algo que nao me faca ficar igual a todo mundo!Isso e muito relativo..como tudo na vida tem dois lados!

Bjinhos flor(**

imnotinsane disse...

Nao, nao fui eu qe escrevi!
Muito raramente vou por aqui um texto meu :)
Mas o brigada na mesma!!! ***

Anónimo disse...

É mesmo Marta, quem vê uma pessoa, vê todas e isto acontece em qualquer idade, se bem que nos adolescentes é mais gritante...como eu digo o que muda são apenas os corpos...uns altos, outros baixos, magros, gordinhos, mais bonitos ou menos...

A roupa é a mesma, o cabelo é o mesmo e até os acessórios são os mesmos...

Falta de originalidade...

É bonito ver que alguém com a tua idade repara nestas coisas :)

Gostei do teu blog :)

Beijo,
maria

um Ar de disse...

Obrigada pelos comentários amigos, minha querida Marta...
.
Tão bem tu escreves e sobre assuntos que te preocupam! ou te questionam! ou te fazem pensar!
.
Devia vir aqui mais vezes... :)
.
Ainda bem que também não és acólita das modas e das medianias... ainda bem que és como és, vestes o que te faz sentir bem e não o que está "prescrito"!...
.
Quanto aos outros, como dizes, tudo passa... não fica nada de relevante para recordar e assinalar uma presença.
.
[Beijo de, como gosto de te ler!]

David disse...

Se fosse só essas analogias, e o facto de sermos sempre controlados pelas mesmas pessoas, sempre pelos mesmos problemas? Já não há como ir ao sabor da vida infelizmente...

Beijinhos

Heloisa Ikeda... disse...

Belo texto!
E um belo tema também. Concordo plenamente, a sociedade está ficando muito igual, cada vez mais as pessoas buscam se encaixar a moldes que foram impostos pela mídia e pela televisão. A maioria das pessoas hoje não se preocupa em satisfazer suas vontades, se preocupa mais em estar de acordo com o resto do mundo, para sentir-se parte dele.
Ou seja, está cada vez mais dificil sermos nos mesmo ¬¬

Beijos Marta :*

Lu.a disse...

lol!!
Adorei este post e subscrevo Martinha!!

Ana disse...

sabes, às vezes quem é diferente é deixado de parte, e a maior parte das pessoas se quer ficar enquadrada tem de se vestir como os outros , senão...( se andas na escola , já reparaste que a maior parte dos populares se vestem sempre de igual?)

© oblogdocorte 2007. Todos os direitos reservados